segunda-feira, 30 de março de 2015

Can You Be Mine. (Eighteenth)

18º  Capitulo

  Esperamos até que desse 00h00 pra sairmos de casa.
  Loucura? Loucura. 4 adolescentes saindo de casa pela madrugada.
  Mal podia esperar pra ver o que aconteceria.
  Realmente, as estradas que nos levavam aos melhores lugares da Flórida estavam fechadas, mas agora eu tinha oficialmente 18 anos, e ninguém podia nos parar. Estávamos decolando pela Costa Oeste da Flórida. Passando por NaplesFort Myers e outras praias incríveis antes de Orlando.
  No rádio, no último volume, tocava Pearl Jam, The Doors... Colocávamos nossas cabeças para fora e gritávamos pro mundo o quanto estávamos nos divertindo aquela noite.
  Parando de festa em festa pelo caminho, bebíamos, dançávamos, aproveitávamos tudo o que podíamos. Sem ligar para o que havia acontecido. Ou o que podia acontecer. Eu estava completando 18 anos e agora iniciava minha vida.
  Foi uma daquelas noites em que se vê em filme. A diferença é que, talvez porque já bebi muito, mas não sei se ainda quero ser uma universitária. Posso pensar nisso ano que vem.
  Fizemos a rota mais maravilhosa de todas –até porque nunca fiz uma viagem assim.
  Aí o Ian começou a gritar.
 -MARGO FIELDS ESTÁ COMPLETANDO 18 ANOS E HOJE ELA PAGARÁ POR ROUBAR O CORAÇÃO DO MEU AMIGO! SRTA ESTÁ PRONTA PARA OUVIR SUA SENTENÇA?
  E eu entrei na brincadeira.
 -OH, JUIZ. NÃO ME JULGUE POR ISSO. FOI PURAMENTE EM LEGÍTIMA DEFESA. OLHO POR OLHO DENTE POR DENTE. JÁ OUVIU ALGO ASSIM?
 -ESTÁ ME DIZENDO QUE MEU CARO AMIGO ROUBOU SEU CORAÇÃO, SRTA?
 -SIM SENHOR, É O QUE ESTOU DIZENDO.
 -MAS VOCÊ ESTÁ BÊBADA.
 -MAS MEU CORAÇÃO ESTÁ SÓBRIO, MEU CARO.
 -ENTÃO BEIJEM-SE.

  Aí a porra ficou séria. Eu não podia beijar o Luke. Eu estava bêbada, mesmo que meu coração estivesse sóbrio. Eu gosto de me lembrar de todas as vezes que nos beijamos.
  Estavam todos rindo, inclusive eu. Mas eu só ri pra não ficar de fora.
 -SIM SRTA. BEIJE-ME. BEIJE-ME SOB A LUZ DE MILHÕES DE ESTRELAS. –automaticamente, olhamos para cima. Sim, o céu estava lindo. Milhões de estrelas iluminando a noite. A Lua refletia na pele de Luke, e seus cabelos brilhavam; e eu vi galáxias em seus olhos. Eu queria lembrar aquele momento para sempre.
  Forcei minha mente a ignorar todo o álcool que estava em mim, para que houvesse um espaço único para aquela noite. Aquele não seria só mais um beijo.
 -OS OUTROS QUE NÃO ESTÃO ENVOLVIDOS NESTE CASO, POR FAVOR, NOS DÊM LICENÇA.
 -SINTO EM DIZER SRTA. MAS SOU O JUIZ DO CASO E PRECISO OBSERVAR ENQUANTO SE CUMPRE A PENA.
  Agora foi a vez de Agatha falar.
 -COM LICENÇA, SR. JUIZ GATO. COMO ADVOGADA DA SRTA MARGO, PEÇO-LHE QUE SE RETIRE. TENHO CERTEZA QUE O SR. TEM COISAS MELHORES A FAZER. –ela sorriu maliciosamente, até demais, pra ele. E eu não sabia se sentia nojo ou gratidão por eles saírem dali.
  Saímos do carro. Não sei pra onde Agatha levou Ian, e não tinha a mínima vontade de saber. Sério. Aqueles dois são tão melequentos.
  Luke me puxou pra perto dele e me beijou, encostando-se ao carro. Abracei seu pescoço e antes de nos beijarmos realmente, afastei nossos rostos de modo que nos olhássemos olho no olho.
 -Oi. –sussurrei.
  Ele riu e disse
 -Oi.
 -Posso pedir uma coisa?
 -Tudo o que você quiser. É sua noite.
 -Promete que não vai esquecer hoje?
 -Margo Fields. Não importa quanto álcool exista dentro de mim, tudo o que eu viver ao seu lado será eternizado. –sorri– Sempre que eu olhar para as estrelas, me lembrarei de hoje. Sempre que pensar nas estrelas, estarei pensando em você.
 -Você está totalmente bêbado. –Eu disse, e nos beijamos.
 Um beijo quieto, mas quente –meu primeiro beijo com 18 anos. E eu amava Luke –minha primeira certeza com 18 anos.
Oi gente. Assim, pra escrever esse capítulo, tive dar uma pesquisada pra não escrever nada errado. Então, resolvi dividir com vocês o site onde obtive informações sobre a Costa Oeste da Flórida. E o outro site, é pra caso você resolva sair em uma aventura sozinho(a) ou com sua turma e ter as melhores músicas para escutar